Trechos bibliográficos

Essa obscura claridade que cai das estrelas (Corneille, Le Cid, IV, 3).
A Mulher não existe, mas falamos dela mais ainda. É uma ficção generalizada, produtiva e até mesmo incandescente, da qual a psicanálise participa ao seu modo. Para o bibliógrafo, essa abundância é a um só tempo bênção e flagelo, como garantia de que isso vá servir para alguma coisa. Visto que o tema pede um estilo leve e evocador, evitaremos a bibliografia exaustiva em prol de citações menos conhecidas, acompanhadas de breves comentários, dando lugar para a surpresa, a incompreensão e o enigma.